como tratar Prolapso genital?

O Que É Prolapso Genital?

Prolapso genital se refere à queda, descenso ou saída de um ou mais órgãos pélvicos para fora da vagina. São considerados órgãos pélvicos o útero, a vagina, o intestino e a bexiga. O prolapso ocorre quando enfraquecem os músculos, ligamentos e fáscias (uma rede de tecidos de suporte) que mantém os órgãos nas suas posições corretas. Nesse post, vou explicar como tratar o prolapso genital.

Os Sintomas Do Prolapso Genital Incluem:

• Uma sensação de “arrastar um peso” na vagina ou nas costas.

• Sensação de “bola” no interior ou fora da vagina.

• Sintomas urinários tais como jato lento, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, frequência urinária ou micção imperiosa e incontinência urinária aos esforços.

• Sintomas intestinais tais como dificuldades para movimenta-los ou sensação de não esvaziá-los apropriadamente, ou ainda necessidade de pressionar a parede vaginal para a evacuação completa.

• Desconforto durante o ato sexual

Quais São As Causas Do Prolapso Genital?

A causa principal é a lesão dos nervos, ligamentos e músculos que dão suporte aos órgãos pélvicos, mas também pode resultar das seguintes:

• Gestação e parto são considerados os principais fatores que levariam ao enfraquecimento da vagina e seu sistema de apoio. O prolapso pode afetar uma em cada três mulheres que apresentaram uma ou mais gestações. Pode se manifestar durante, logo após a gestação ou pode levar muitos anos para se desenvolver. É importante enfatizar, entretanto, que somente 1 em 9 mulheres (11%) necessitarão realizar cirurgia do prolapso durante sua vida.

• O envelhecimento e a menopausa podem aumentar a fraqueza das estruturas do assoalho pélvico.

• Condições que ocasionam pressão aumentada sobre o assoalho pélvico, como a obesidade, tosse e constipação (“prisão de ventre”) crônicas, bem como trabalho pesado e esforço continuado.

• Algumas mulheres podem apresentar um risco herdado para o prolapso, enquanto algumas doenças afetam a força do tecido conjuntivo, tais como as Síndromes de Marfan e Ehlers-Danlos.

Qual A Gravidade Do Meu Prolapso?

Muitas mulheres (até 40%) apresentam um pequeno prolapso, com mínimos ou ausência de sintomas. Seu médico fará uma história completa e realizará exame vaginal para determinar a gravidade e como tratar o prolapso genital. Diferentes médicos utilizam diferentes sistemas de graduar o prolapso e o seu lhe explicará este fato.

Como O Prolapso Genital Pode Ser Tratado?

As opções de como tratar o prolapso genital podem ser divididas entre não-cirúrgicas e cirúrgicas.

Opções De Tratamento Não-Cirúrgicas:

• Nada a fazer: Prolapso raramente é uma condição que acarreta risco de vida, e muitas mulheres podem escolher por não fazer qualquer tratamento, ao não apresentarem sintomas ou desconforto. Se você foi diagnosticada portadora de prolapso, tente evitar trabalho pesado, esforços crônicos como pela constipação intestinal, bem como aumentar excessivamente de peso, pois todas estas situações podem agravar o seu prolapso.

Pessários são dispositivos vaginais que se apresentam com várias formas e tamanhos. Sua função é proporcionar apoio mecânico aos órgãos prolapsados, aliviando assim os sintomas. São mais adequados se você deseja postergar ou evitar a cirurgia, p. ex. , se sua família ainda não está completa, ou se seus problemas de saúde podem fazer da cirurgia um risco. Os pessários necessitam ser ajustados pelo pessoal do servico de saúde, podendo ser por tentativa e acerto, antes que o tipo e tamanho mais adequados seja encontrado para você. É possível permanecer sexualmente ativa, com algum dos tipos de pessários colocados.

•Exercícios do assoalho pélvico (exercícios de Kegel): Exercitar seus músculos enfraquecidos do assoalho pélvico pode ajudar a melhorar ou prevenir a piora, nos estágios iniciais do prolapso. Como qualquer outro programa de exercícios, estes exigem tempo, motivação e técnica adequada.

• Opções De Tratamento Cirúrgico:

Para mulheres com prolapso sintomático, o reparo cirúrgico pode ser oferecido. Seu cirurgião irá recomendar o tratamento cirúrgico mais apropriado para você baseado numa série de fatores, incluindo sua idade, história de cirurgias prévias, severidade do prolapso e sua saúde geral. Existem duas opções principais: cirurgia reconstrutiva e cirurgia com “fechamento” vaginal.

• Reparo Cirúrgico Reconstrutivo: O propósito da cirurgia reconstrutiva pélvica é reposicionar seus órgãos na sua posição original, e ao mesmo tempo manter sua função sexual. Existem várias maneiras diferentes de realizar a cirurgia, que incluem:

• Abordagem vaginal

• Abordagem abdominal (através de uma incisão abdominal)

• Laparoscópica

• Robótica

• Cirurgia do “fechamento” vaginal (Colpocleise): Seu médico pode recomendar esta cirurgia se você tiver um prolapso severo, não é sexualmente ativa nem pretende sê-lo mais no futuro; também se suas condições de saúde não permitem a cirurgia reconstrutiva (mais demorada). Durante este procedimento seu cirurgião irá suturar uma parede vaginal à outra, prevenindo a recorrência do prolapso. As principais vantagens deste procedimento são de ser uma cirurgia de duração e recuperação mais rápidas.

Qual Abordagem Cirúrgica É A Mais Adequada Para Mim?

Não existe uma única melhor abordagem de como tratar prolapso genital para todas as pacientes. Para a sua cirurgia em particular, a abordagem dependerá de muitos fatores que incluirão sua história, o treinamento e experiência do seu cirurgião nas diferentes técnicas, e a sua própria preferência. Seu cirurgião irá discutir com você as várias opções, e recomendará aquele que melhor se ajuste à sua condição e necessidades. Cada reparo é individualizado, pois mesmo duas mulheres diferentes com o mesmo prolapso podem ter necessidades diferentes.

• Abordagem Vaginal: usualmente consiste em realizar uma incisão na vagina, separando o órgão prolapsado envolvido da parede vaginal, e usando suturas e/ou telas para reforçar e reparar a vagina. Suturas permanentes podem também ser colocadas no ápice da vagina ou no colo uterino e após fixadas em ligamentos reforçados da pelve, para proporcionar suporte ao útero ou cúpula vaginal.( procedimentos conhecidos como suspensão aos ligamentos sacroespinhoso ou úterossacros).

• Abordagem Abdominal: aqui a incisão é no abdomen e com o uso de suturas e/ou materiais de enxêrto para apoiar a vagina, cúpula vaginal ou útero. Na sacrocolpopexia , a cúpula vaginal prolapsada é apoiada com o uso de uma tela fixada ao sacro (osso posterior da pelve). Aqui também existem muitos procedimentos diferentes, que lhe serão explicados em detalhes pelo seu médico.

• Abordagens Laparoscópica e Robótica: estes procedimentos oferecem reparos similares aos abdominais abertos, mas frequentemente com recuperação mais rápida e cicatrizes menores. Na atualidade, a cirurgia robótica somente é disponível em poucos centros.

Qual A Possibilidade De Sucesso Da Cirurgia?

Aproximadamente 75% das mullheres submetidas à cirurgia vaginal, e 90-95% à abdominal, apresentarão cura a longo prazo dos seus sintomas do prolapso. Prolapso recorrente pode ser devido à permanência dos fatores que causaram o prolapso inicial como prisão de ventre e fraqueza dos tecidos.